Osamu Masuko, presidente mundial da Mitsubishi: “Fiquei impressionado ao ver as bombas de álcool espalhadas pela cidade”

16out08

Na primeira visita de um presidente mundial da montadora japonesa Mitsubishi ao Brasil, o “passeio turístico” incluiu visitas a postos de combustíveis. No cargo desde 2005, Osamu Masuko, 59 anos, queria entender como as pessoas abastecem os carros flex no Brasil.

“Fiquei impressionado ao ver as bombas de álcool espalhadas pela cidade”, disse Masuko. “A capacidade de produzir etanol é a grande arma do Brasil.”

O passeio, na verdade um deslocamento entre reuniões nos três dias de visita ao País, foi feito em uma Pajero TR4 flex, cujo motor foi desenvolvido por meio de uma parceria entre Brasil e Japão.

“Foi um grande trunfo para nós desenvolver esse motor flex e isso está abrindo mercado para nós na Europa”, afirmou Masuko, que visitou a fábrica em Catalão, Goiás.

designup.pro.br

Imagem: designup.pro.br

“O modelo flex que teremos na Europa não terá a mesma tecnologia, mas a engenharia básica e o método de desenvolvimento brasileiro serão aproveitados.”

Questionado sobre o futuro da tecnologia flex e a preferência do Japão pelo carro elétrico, Masuko respondeu:

“O Japão não pode se dar ao luxo de desistir do etanol”.

“Mas, como vendemos para todo mundo, temos de ter produtos para todos os segmentos: flex, elétrico, híbrido”, completou.

Responsável por reerguer a montadora, que há cerca de quatro anos estava à beira da falência, Masuko veio ao País reafirmar o compromisso com os investidores brasileiros Eduardo Souza Ramos e Paulo Ferraz, responsáveis pela produção e as vendas da marca no Brasil. Recentemente, a revelação de que Ramos se associou à Suzuki levou à especulação sobre o rompimento na parceria.

Confiança na parceiro nacional
“Jamais pensamos em comprar a empresa no Brasil, nem passou pela nossa cabeça concorrer com eles.”

O Brasil é o 7º maior mercado para a Mitsubishi. A montadora tem 1,3% do mercado nacional e deve registrar, este ano, crescimento de 48%. A venda de nacionais e importados deve passar de 31 mil para 46 mil veículos.

“Apesar de toda essa crise mundial, nossa política para o Brasil não muda.”

Ferraz e Souza Ramos estiveram no Japão recentemente avaliando alternativas de modelos para fabricar no Brasil. Atualmente, a empresa produz apenas quatro modelos: os utilitários esportivos Pajero Sport e TR4 e as picapes Triton e L200.

“Estamos discutindo a possibilidade de vir a fabricar um modelo pequeno e urbano”, afirmou Souza Ramos.

A empresa também pretende realizar estudos de viabilidade para trazer o i Miev, modelo de carro elétrico que chega ao mercado mundial em julho do ano que vem.

shiotsu-used-car.com/blog

Mitsubishi innovative Electric Vehicle (i MiEV). Imagem: shiotsu-used-car.com/blog

No Brasil, há a possibilidade de que o i MiEV entre nos planos da montadora já na elaboração do próximo plano qüinqüenal, no ano que vem.

“Estamos conversando sobre isso”, disse Eduardo Souza Ramos, presidente do conselho da Mitsubishi no Brasil.

No primeiro momento, porém, diz, o carro deve ser importado.

[via Agência Estado e Folha de São Paulo]

Mitsubishi i MiEV Sport – Tokyo Motor Show 2007 : DigInfo

Anúncios


5 Responses to “Osamu Masuko, presidente mundial da Mitsubishi: “Fiquei impressionado ao ver as bombas de álcool espalhadas pela cidade””

  1. 1 Renato

    Me admira o presidente da empresa fazer este comentário rídiculo ao ver bombas de alcool pela cidade… a empresa dele produz um carro flex a quase um ano, com vendas consideráveis, por ser um dos únicos suv’s flex do mercado..
    E ele achava que abasteciamos o carro aonde?? em casa?? em feiras-livre com equipamentos de fazer garapa?? Ele não deve ter lido nenhum relatório antes de ter lançado o produto.. não é possível… isso que é conhecer os produtos e o mercado da sua empresa!!

  2. Olá Renato,

    até entendo a sua revolta ao ler um título desses…

    mas vejo que você levou ao “pé da letra”, uma informação que deveria ser entendida mais como uma “surpresa” agradável em ver que o Brasil conseguiu construir uma rede de abastecimento de combustíveis alternativos eficiente e enorme. Pense que o Brasil tem dimensões continentais.

    Eu falo a língua japonesa e acho que o tradutor não considerou as nuances e a cultura do presidente da empresa.

    Aposto que as falas dele foram muito mais neste sentido, que aliás ele sabe muito bem a importância em ter um carro flex em seu portfólio, como ele mesmo diz que é um trunfo para a empresa ganhar mercado na Europa.

    Obrigado por deixar a sua mensagem aqui no blog.

    Abraços

  3. 3 Marcelo

    Renato,
    Apenas aproveitando a deixa do Andrey, realmente seu cometario foi infeliz.

    Um japones, por mais que leia tudo sobre o Japao, nao consegue imaginar a fartura e o tamanho que é o nosso pais. Caso voce conhecesse o Japao iria entender o que estou falando.

    Mesmo ele sabendo que temos uma imensidao de cana de acucar e usinas, e tantos carros flex, ele nao conseguiria imaginar que em qualquer canto teriamos o alcool. Ate mesmo em cidade pequenas de interior.

    Portanto, nao faça comentarios rudes, sem pensar antes no que esta falando. Pega mal para voce mesmo.

    Att

  4. Olá Marcelo,

    muito pelo contrário, este blog é um espaço para reflexão de idéias sobre o mundo dos negócios, enfim sobre qualquer assunto que vale a pena por si só.

    Em nenhum momento procurei ser rude com o leitor Renato, apenas destaquei algumas nuances que existem na fala e na conduta de uma japonês, principalmente em se tratando da cultura japonesa.

    E mais do que tudo, afinal eu morei por 10 anos no Japão, eu sei o quanto é complicado para nós ocidentais entendermos certas atitudes dos asiáticos, portanto a realidade levada ao pé da letra não se aplica em falas somentes…

    é preciso verificar o contexto e outros fatores…mas é claro que uma reportagem vende mais com uma fala dessas, asim como um post para fazer mais sucesso foi destacado estas falas…

    De qualquer forma Marcelo obrigado por deixar a sua mensagem aqui no blog e seja sempre bem-vindo!

    Abraços

  5. 5 Rodrigo

    eu moro em catalão e ja visitei a montadora
    eu acho q a mitsubishi devia investir em carros mais baratos para vender
    pelo menos em Catalão se ve muitos carros da mitsubishi , e a pajero e a L200 vende muito bem e pode ser encontrado em qualquer lugar


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: