Petrobras, gasolina, etanol e governo Lula: “Em casa de ferreiro, espeto é de pau”.

10abr08

Ontem em entrevista, o presidente da BR Distribuidora, José Roberto Dutra confirmou que o crescimento no consumo de álcool combustível no Brasil é um problema a mais para a Petrobras.

“É claro que o aumento do consumo de álcool traz problemas para a Petrobrás. Hoje, somos auto-suficientes em gasolina e, com o decréscimo desse mercado, a Petrobras terá de exportar o excedente”, disse.

No mesmo dia, o presidente Lula estava na Holanda para assinar uma força-tarefa na defesa do uso do álcool combustível, com o assunto biocombustível dominando a pauta da viagem ao país.

O presidente da União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica), Marcos Jank, afirmou hoje que falta afinar o discurso dentro do governo federal sobre o álcool combustível, o que para ele é uma total falta de “contra-senso”.

“Alguma coisa tem de ser afinada na orquestra. O presidente Lula está defendendo o álcool lá fora e, aqui dentro, a Petrobras insinua que pelo fato de o álcool estar crescendo muito é preciso retirar, por exemplo, a única vantagem que tem hoje, que é a Cide (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico)”, disse Jank, após participar da abertura do Workshop do Observatório do Setor Sucroalcooleiro, no campus da Universidade de São Paulo (USP), em Ribeirão Preto (SP).

Jank avaliou que a razão da incidência da Cide, hoje em R$ 0,28 sobre o litro da gasolina, é devido:

“O álcool cria uma imagem positiva da sociedade, por ser renovável, limpo, por criar empregos e gerar divisas”.

O presidente da Unica admitiu que há problemas de diálogo entre o setor sucroalcooleiro e a Petrobras e pediu uma cooperação entre as duas áreas.

“Confesso que gostaria de poder dialogar mais com a Petrobras, porque entendemos que existe espaço suficiente para o álcool e a gasolina no Brasil e no mundo. Poderíamos ter atitudes cooperativas e não conflitivas”, afirmou.

Jank disse que um dos motivos causadores dos ataques de Dutra ao álcool possa ser a previsão de que o uso do combustível renovável em veículos leves ultrapasse o da gasolina ainda este semestre.

“É um temor para a Petrobras o álcool passar a gasolina. Mas nós pregamos um diálogo moderno, inclusive com a perspectiva de rever a matriz de combustíveis e fazer um planejamento junto com o governo para os próximos 20 anos”, concluiu.

A pedido do próprio presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o governo brasileiro pretende criar uma estratégia para “responder” às críticas à produção de biocombustíveis que têm sido levantadas nos países europeus.

Pois é, em terra de barnabés, “casa de ferreiro, espeto é de pau”.

Via Estadão

Anúncios


One Response to “Petrobras, gasolina, etanol e governo Lula: “Em casa de ferreiro, espeto é de pau”.”


  1. 1 O caso da espionagem no governo Lula: a gestão pública acima do bem e do mal « Estratégia Empresarial

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: