São Domingos do Prata no interior de Minas Gerais é chamada de A Cidade dos Apelidos

26fev08

Em tempos de customização em massa, marketing 1 to 1, CRM e outras terminologias mais, uma cidadezinha do interior de Minas Gerais é chamada de a A Cidade dos Apelidos.

Em São Domingos do Prata, ou Prata para seus moradores, sim, até a cidade têm o seu apelido.

Até a moradora mais velha, Dona Maria Lima, tem apelido. “Nasci em 8 de abril de 1906”, conta.

São 102 anos e um apelido: Quita Biscoiteira. Se bem que, depois que aposentou, os biscoitos ficaram para trás.

“Acabou o forno. Ficou só Quita. A Biscoiteira parou”, disse a aposentada Maria Lima.

Agora, Dona Quita passa o dia na janela, vendo a cidade passar na rua, revelando seus apelidos.

Lista telefônica

Se não encontra uma pessoa na rua, o jeito é descobrir o número dela no catálogo e telefonar. Mas sem saber o nome verdadeiro, como fazer? Já está feito. Em “Prata”, existe uma lista telefônica com o apelidos dos moradores.

A obra é do comerciante Francisco Fernandes. Ele é conhecido como Chico Topa-Tudo. Comprava e vendia de um tudo, ficou o apelido. Na lista de Chico, só entra quem topa. Nem todo mundo gosta de como é chamado.

“Um sujeito que tinha um coqueiro na frente da casa dele e esse coqueiro era motivo de briga, porque apelidaram o homem de Zé do Coqueiro. O sujeito, depois de um certo tempo, ficou irritado com aquilo lá e mandou cortar o coqueiro. Cortou o coqueiro e, passado um tempo, apelidaram ele de Zé do Toco. Zé do Toco foi irritando também e ele, nervoso com aquele ‘trem’, mandou arrancar o toco. Aí ficou Zé do Buraco. Não escapuliu de nada”, conta o Chico Topa-Tudo.

Na cidade dos apelidos, todo mundo quer fazer graça. Mas, como diz Teda, o cabeleireiro, nem sempre dá para sair ganhando.

“Tem um rapaz que tem o apelido de Me Esquece. Ele foi candidato a vereador e no santinho tinha ‘Me Esquece’. Ele pedia para o pessoal esquecer dele e não foi eleito”, lembra o cabeleireiro Paulo César Rosa.

É assim e assim será nesta terra de nome Prata. Nome não, apelido.

“Não pode morrer a tradição, se não morre o Brasil”, acredita o comerciante Geraldo Vieira Lima.

Assista aqui a reportagem da repórter Narrimann Sible para o Jornal Bom Dia da Rede Globo.



111 Responses to “São Domingos do Prata no interior de Minas Gerais é chamada de A Cidade dos Apelidos”

  1. 1 José Diamantino Neto

    Muito bonita a história e manutenção dos apelidos. Oportuna, a divulgação, ontem, pelo bom dia Brasil!

  2. Olá José,

    esta cidadezinha consegue manter com muito humor uma caracteríetica de seus moradores. Porque não ser diferente e tratar a vida com simpatia e alegria que contagia a todos?!

    Como disse um de seus moradores, a tradição não pode morrer, se não morre o Brasil. Também venho e moro no interior, por isso o charme e a qualidade de vida podem ser imbatíveis, basta enchergar o mundo com outros olhos. Fabuloso!

  3. 3 PETERSON FREITAS

    Realmente lá no Prata existem coisas que só ela tem !!!
    Mais do que os apelidos o povo é muito hospitaleiro !!
    Sou um Prateano Ausente, assim chamado pela população local, ou seja, sou de lá mas não mora mais na cidade, retorno com certa frequência para visitar e matar a saudade com os familiares que ali ficaram, todo ano tem um baile tradicional do Prateano Ausente, assim uma data marcada para rever os amigos !!
    Tem outros tantos apelidos que não foram falados, como Tineco( José Geraldo), Fizico( Adriano), Capivara, Barraco e também algumas figuras tradicionais da cidade, conhecidas é claro pelo apelido.
    “Prata realmente é a cidade que amamos “

  4. Olá Peterson,

    tbém venho de uma cidade pequena, do interior do Paraná. Acho que histórias como a de sua cidade deveriam aparecer mais na mídia!

    Que maravilha, até quem é ausente da cidade tem um pomposo apelido hein!!!

    Abs

  5. 5 Fernando Mardini

    Realmente é uma coisa sensacional. Eu sou de São Paulo, mas sou apaixonado pelo Prata, mais precisamente por Santana do Alfié, que é distrito do Prata. Assino o jornal Edição Regional, do Prata e adquiri recentemente o catálogo telefônico da região, que é feito pelo Bráz Soares, como não podia deixar de ser, apelidado de Brazuca. O catálogo vem por assinantes, por endereço, por distritos, e, também não podia deixar de ser, por apelidos. Conheço muita gente lá, na qual não sei o nome real. É por coisas assim que estou indo embora para me fixar nesta cidade espetacular, que já me apelidou de “Paulista”.

  6. Olá “Paulista”,

    espero que ocorra tudo bem nesta sua nova jornada indo morar no “Prata”.

    Abs

  7. 7 iani aparecida ribeiro

    Adorei a reportagem sobre apelidos em São Domingos do Prata,meu pai mora lá se chama Raymundo e o apelido dele é Dico da cooperativa,o meu irmão se chama Wanderley e o apelido dele é Varnei.Felizmente nem todos tem apelidos minha irmã e eu escapamos de termos apelidos.Minha filha tem o apelido de Cris(CRISTIANE).Obrigada pela atenção.

  8. 8 Elisabete

    Olá!
    Meus pais nasceram em São Domingos do Prata.Por muitos anos eu passei férias lá em Bateeiros.Realmente é a cidade dos apelidos.Eu fico até hoje admirada com a variedade de apelidos.
    Abraços

  9. Olá Elisabete,

    obrigado por deixar o seu registro aqui no blog.

    Abs

  10. 10 Roanny Cota Pessoa

    Eu sou do Prata e moro 2 e meio anos em BH….
    O Prata é minha paixão…acho que fico mais la
    do que em BH….e essa cidade encanta todos que a conhecem mesmo…
    Os apelidos são os melhores, muito criativos também…
    bjos

  11. Olá Roanny,

    obtigado por deixar a sua mensagem aqui no blog.

    Abs

  12. 12 Shu

    haha antes de ver a reportagem eu nem tinha reparado..
    mas não é que somos mesmo “apelideiros’?
    sou do Prata e moro em BH há 5 anos..
    mas sempre vou lá e apesar de me chamar Sílvia, meus amigos de lá e tb daqui me conhecem como SHU…

    O Prata é realmente muito bom!!! Todos devem tirar uma folga e curtir um final de semana no querido Pratinha!!!

    Abraços a todos!!

    obs: ah! e lá no Prata qdo alguém não sabe meu nome, me comprimenta como “filha de Gelim” que é o apelido do meu pai, Geraldo! rs…

  13. 13 Rodrigo Do Mal

    Saudações a todos!!!
    Realmente o Pratinha (outro apelido adotado por alguns belorizontinos), é uma cidade mágica, onde tudo é possível! Como bom prateano contribui para criação de alguns apelidos para mantermos esta tradição. Só na nossa turma existem:

    – Mandi, Café, Babão, Shu, Negão, Lu Bico, Batoré, Pitoco, Bilau, Garantido, Lambreta, Paca, Corujito, Cepa, Dani Boy, Xykão, Do Mal etc…

    Aproveito a oportunidade para deixar um abraço a todos os Nós Er-Manos pois, tenho que reconhecer: Essa galera chapa todas sem limite! E eu como fundador não posso peder essa prática e muito menos deixar de citá-los.

    Também concordo com o Peterson “Puff”, kkkkkkkkk pois faltaram muitos apelidos como: Dilsin, Joaozinho Né (esse é o melhor!), Zé da Égua, Rufião, Maria Pinguela, Pequeno, Sergio Tubarão, Zé Anunciação (o cara é gago, usa um fundo de garrafa é fanho e cisma que é cantor! Comédia d++. Tem até CD gravado), Ferro …

    Abraço a todos

  14. Olá Rodrigo,

    obrigado por deixar a sua mensagem aqui no blog.

    Abraços

  15. 15 Kelsey Domingues Morales

    Prata!… Quanta saudade!!! Seu povo, suas ruas, seus ares… tudo lá é especial!
    Sou mais uma Pratiana ausente, morando em Brasília, mas sempre que possível retorno ao aconchego da minha família… que por sinal tb tem alguns apelidos interessantes: meu pai é Nelito (Manoel), minha mãe é Nisca (Maria) e minha avós, que já passaram para o outro lado, eram Sanica e Bilita. Ainda tem os tios : Tatão, Nonô de Neco,Nonô de Sanica, Naná, Zuca, e por aí vai…
    Ah! E tem mais: no Prata, quem não tem apelido ( e às vezes até mesmo quem tem) é chamado de “fulano de fulano” ou “fulano de fulano de fulano”, por exemplo: Kelsey de Nelito de Nisca.Precisa de mais???
    Bom, é por esta e por outras que o Prata será sempre o nosso Pratinha…
    Um abraço a todos.

  16. Olá Kelsey,

    satisfação ao ver a reação de pessoas desta incrível cidade perante a um artigo na net, pessoas de várias localidades, mas com, obviamente, apelidos sipáticos como a cidade!

    Obrigado por deixar sua mensagem aqui no blog.

    Abraços

  17. 17 josiane castro

    tambem sou uma prateana ausente mas sempre que posso vou na minha cidade do coraçao rever meus entes bjos a todos os castro amo sao domingos do prata

  18. 18 Hilton

    Eu amo São Domingos do Prata!!!!!!!!!!!!!!

  19. Olá Hilton,

    obrigado por deixar a sua mensagem aqui no blog.

    Abraços

  20. 20 MARCIA MAGALHAES MENDES

    BOA TARDE ,SOU UMA PRATIANA AUSENTE ,SOU FILHA DE TONE MENDES ,MEU PAI ERA MUITO QUERIDO AI. QUANDO VEJO REPORTAGEM SOBRE O PRATA ,ME DA AQUELA SAUDADE ……………UM GRANDE ABRACOS A TODOS ……………..

  21. Olá Márcia,

    obrigado por deixar a sua mensagem aqui no blog.

    Abraços

  22. 22 dayana

    ah!!!
    nosso Prata
    cidade maravilhosa facil de ser amada
    cheia de encantos
    maravilhas mil!!!!!!!!!!!
    só tem figura,
    povo acolhedor,
    amigo,
    Pratinha te amoooooooooo!!

  23. Olá Dayana,

    obrigado por deixar a sua mensagem aqui no blog.

    Abraços

  24. 24 Edson de Castro Lemos

    Ola ! eu tambem sou do PRATA gosto muito dasta cidade ,para nao fujir da regra eu tambem tenho varios apelidos mas la eles mim chamam como Edson de PIO que e o nome de meu amado pai.O apelido no Prata e uma maneira carinhosa e rapida para identificar as pessos. Uma cidade como o Prata em que chamar os outros pelo apelido e normal isto e o que encanta quem passa por la,e muitos acabam ficando por la .Por isso e que falam PRATA CIDADE FACIL DE SER AMADA. Eu ja ache gente conhecida neste site Marcia Magalhaes, o pai dela Tone Mendes e Dona Fina sao meus padrinhos de batismo.Eu morro em Ipatinga e sempre que da eu vou no Prata.Um abraço tem um site do Prata que e http://www.festprata.com muito legal.

  25. 25 sarah_moraes15@hotmail.com

    Gentee sou moradora dessa cidadezinha tão queridaa!!! E venho com pesar informar-lhes a morte da nossa querida Dona Quita!!! E venho falar tbm ki agora o prata andaa
    Cidade fácil de ser amada!!

  26. Olá Sarah,

    puxa vida, que chato receber esta notícia, mas obrigado por você deixar a sua mensagem aqui no blog.

    Abraços

  27. 27 Ana Izaura Cotta Perdigão

    Eu também sou Pratiana, amo essa cidade,moro em Vila Velha,mas jamais a esqueço, qdo vi a reportagem dos apelidos cheguei a me emocionar e a saudade bateu forte.

  28. Olá Ana,

    fico feliz que tenha gostado da reportagem. Obrigado por deixar a sua mensagem aqui no blog.

    Abraços

  29. 29 Gabriela Magalhães

    aaaaahhhh O PRATINHA!!!! como amo essa cidade!!!!
    há 3 anos moro fora do prata mas sempre q posso vou ateh lah visitar minha família e queridos amigos.
    sobre os apelidos não poderia deixar de citar o nome do meu avô paterno Tunico Farias, inclusive a usina de reciclagem da cidade leva seu nome. e tb meu amado pai q era chamado José Farias por causa do meu avô sendo q nenhum dos dois tinha Farias no nome.

    abs a todos q moram nessa tão amada cidade.

  30. Olá Grabriela,

    obrigado por deixar a sua mensagem aqui no blog.

    Abraços

  31. 31 Ana Paula

    Oi gnt….
    Eu nasci no Paraná e moro no Prata…é uma cidade maravilhosa……..
    Meu pai tem 2m e 04 de altura e é dono do café,ele tmb tem o apelido de PEQUENO…kkkkk
    alguem conhece?
    bjus

  32. Olá Ana Paula,

    assim como você também sou do Paraná, mas infelizmente não conheço pessoalmente esta singular cidade.

    Obrigado por deixar a sua mensagem aqui no blog.

    Abraços

  33. 33 FABRICIO DRUMOND ROCHA

    Ola pessoal!!!!! Que legal esta comunidade do PRATA. rsss Tambem sou Prateano emoro atualmente em Itauna-MG. Que saudades!!!!!!!!!! Minha familia dai um grande abraços Tia Maria, Jadimar, Mara da prefeitura, Daltinho do motocross, Oziane professora e diretora, Tia Bertina…..ALô Marcos – Produtos Anchieta!!!!!!!! Grande abraço. Pra quem nao conhece, o carnaval no PRATA é bao demaissssssssss Cuida do em joao antonio……kkkkkkkkkkkk
    Abraços
    Fabricio Drumond

  34. 34 joão batista mendes

    para variar sou mais um prateano ausente. Nesta cidade maravilhosa sou conhecido por ter diversos apelidos, assim sou conhecido por “pampa, Preá, nanico, etc,etc” meu pai de pimenta não tem nada, mas porém tem o apelido de “joão Pimenta”, em sendo assim obrigatoriamen te também me chamam de Batista de João Pimenta” Tem uma série de pessoas nesta cidade que eu apilidei ou ajudei a apelidar. EXEmplo: Mayonese, Mussum da Copasa, Tupete de Cabrito, Boneca de Dona Nely, etc,etc.Abraços a todos.

  35. 35 Oscar Drumond

    Fui um Pratiano ausente, hoje de volta a esta maravilhosa cidade, sinto-me honrado por fazer parte desta granda Família Pratiana. Como foi dito por alguns leitores apelidos e o que não falta, cito aqui mais alguns: racha-lenha, tomate, naldim, scub, martinha, zé deró, zé da égua e tantos outros. Abraço a todos e que possamos hoje gritar em alto e bom tom: “Prata, cidade fácil de ser amada!”. Fica o convite ao Andrey para conhecer nossa cidade, e como sugestão já vem batizado de ” zé do site”.
    Abraço.

  36. Olá Oscar,

    poxa seria um prazer em conhecer a cidade e como não poderia deixar de ser – receber um apelido!

    Abraços

  37. OLA´TAMBEM SOU DO PARANA MAIS MORO N PRATA A 35 ANOS E TENHO VARIOS APELIDO P ESEMPRO MARRUA MANGAO LEAO PURAIR VAI E PORISO EU COSIDERO PRATIANO

  38. 38 TARCISIO SANTIAGO MENDES

    Prata cidade facil de ser amada! se aqui plantei meus grãos de sonhos vai ser aqui que vou ser feliz… Quem viver verá! Sou pratiano e resido em Cel. Fabriciano-MG desde 1974, com peixe fora d’água. Nesta cidade, “não preciso que me digam de que lado nasce o sol, porque bate lá meu coração” . Quem já teve o privilégio de assistir jogos do Clube Atlético Pratiano não merece assistir brasileirão! Betinho, Chico Preto, Joãozinho, Fú, Lali, Helvécio, Tião e Geraldo Albeny e cia ltda que o digam!!!

  39. 39 LUCIANO CARNEIRO

    Seus biscoitos já não fazem mais parte dos nossos cafés, seu rosto na janela também já não fazem parte da “Rua da Volta”. Ficaram apenas as lembranças de uma mulher que lutou por mais de 100 anos com a mesma disposição e alegria. Descanse em paz minha querida Dona Quita, companheira eterna da minha avó “Consinha”.
    A “Rua da Volta” chora com saudades de vocês…
    Saudades…

  40. olá ,eu também sou de saó domingos do prata,agora moro em saó paulo ,mais min has ferias e alguns feriados passo la ,é uma cidade maravilhosa ,boa para se passar f feriado,mais sonho em voltar para lá um dia se deus quiser ,meus pais saó de la´maria aparecida elias e juventino vital,eles moram nas palmeira ………………..

  41. 41 LUCIO

    LEGAL VER OS COMENTARIOS DESTAS PESSOAS SOBRE A NOSSA CIDADE. QUANDO LEMOS , NOS VEM LOGO AQUELA IMAGEM DE ALGO ACONTECIDO QUE DEIXA SAUDADES…
    UM ABRACO…

  42. 42 vanusa arthuso

    Emocionei hoje quando li estes comentarios a minha vo Quita.Quanta saudades…..Obrigados a todos pelo carinho….Amo o Prata.

  43. 43 VALDENICE

    EMOCIONANTE VER COMO AS PESSOAS GOSTAM TANTO DA NOSSA CIDADE. TENHO ORGULHO DE SER PRATIANA, A CIDADE QUE AMAMOS.

  44. 44 Kelma Domingues Perdigao

    Oi pessoal, Fui passar férias no Prata e não queria voltar de jeito nenhum. Mais orgulho sento quando recebi a revista seleções deste mês e veio esta reportagem com as 100 melhores do ano. O orgulho bate forte. Orgulho maior é saber que quando minhas filhas vão pra lá não querem saber de internet, tv somente caminhar, andar de bicicleta ir para o PTC (clube da cidade) nadar e subir em arvores. Da pra imaginar isto em outra cidade, principalmente em BH. Beijos…

  45. 45 Gabriele Lima

    ahhh muito lindo essa reportagem do Prata…adorei… amo essa cidade…. sempre q posso estou la… toda minha familia por parte de pai mora la… e ainda sao duas familias… do pai do meu pai e da mae tbm..

    tenho muitos amigos queridos demaisss… e pra mim nao tem ferias melhor q ir pra la..

    nem q seja pra ficar atoa durante o dia conversando e ir anoite pro bar do Adriano.. que eh o programa semanal dos pratianos mais jovens…

    tenho 19 anos e desde q me entendo por gente vou sempre pro prata… infelizmente nao sou pratiana… sou de Bh.. mas pratiana de coraçao..

    so me traz coisas boas…
    amo essa cidade mais q qualquer outra!

    =D bjoss

  46. 46 Angervania Magalhaes

    Olá,também sou uma pratiana ausente, mas que sente muita saudade dessa terra tão querida. Não tenho apelido mas tenho um nome diferente,unico que foi inventado por meu pai.Abraços a todos os PRATIANOS e torço pelo progresso dessa cidade que tanto amamos…

  47. 47 JanáaH Oliveira

    aa, PRATAA é MARAAA !
    Prata é a cidade não só dos apelidos, como também a cidade do carnavaal.. 🙂
    Prata é cidade de festa, de gente bonita..
    PRATA també é pátria! ;p
    e como diz o slogan da prefeitura..
    PRATA, a cidade que AMAMOS !

  48. 48 Fernanda Freitas

    Olá! è muito bom saber que nossa cidade é amada, que amamos mesmmo estando longe, ou porque simplesmente temos pessoas especiais demais, lá residindo. É fato, no Prata, olha que é o apelido da cidade, porque é São Domingos do Prata, reserva curiosidades imensas, além dos apelidos existem localidades e locais com nomes interessantes, como: esquina da borracha, rua das taquaras, rua 13, bicudos, bateeiros, teixeiras, cobras, divino, esperança, selva e outros tantos…
    Como não poderia faltar, é o melhor lugar para se viver…

    Beijos

  49. SAO DOMINGOS DO PRATA, UMA CIDADE UMA HISTORIA DE VIDA PRA CONTAR… EU AMO A CIDADE

  50. 50 Renato Gomes Pessoa

    Olá pessoal, muito interessante tais comentários, porque no dia a dia não percebemos o quanto nos relacionamos através de apelidos. Eu, por exemplo, tenho o apelido de NEM – de Nô Sanica (meu pai, o nome dele é Euler) ou Nem – de Dona Mulata (minha mãe,o nome dela é Maria). Na minha casa tem apelido de Nininha (Roseane), Nina (Rosangela), meu sogro tem apelido de Nuta (Geraldo), as tias de minha mulher tem apelido de Ludy, Baica, e o tio de Ciciu e por aí vai.
    A tempo, o prefeito da cidade se chama Fernando, mas é conhecido por Fernandinho ou PASTEL. Abraços e desejo q o Prata só esteja na mídia com notícias q realmente sejam de valorização de seu povo e da sua cultura.(como esta)

  51. 51 Yáskara

    A Fernanda comentou que tem um lugar que se chama SELVA, mas é apelido, porque originalmente o nome é SERVAS, por causa do Joaquim Vieira Servas, discípulo de ALeijadinho, que séculos atrás foi proprietário de fazendas na região. Mas o povo foi adaptando e facilitando transformou em SELVA.
    O nome do distrito Santana do Alfié, também tem uma história interessante. Na Época do Ouro,a região era considerada como uma área de grande produção aurífera e o ouro ali extraído era considerado de excelente qualidade, ou seja OURO FIEL, e como os moradores da região tinham Santana, como protetora, o nome ficou Santana do Alfié (Alfié,é transformação através do tempo da denominação Ouro Fiel).
    São Domingos do Prata, ou carinhosamente, PRATA, é cultura e história através dos tempos. BJOS

  52. 52 Ernesto Silva

    Sou do Prata e moro em BH em torno de 37 anos. É realmente a cidade dos apelidos pois, me Chamo Ernesto e meu apelido é NETINHO, beleza.
    Abraços.

  53. 53 Ana Paula

    Noooossa! Q legal tanta gente comentando dessa cidadezinha pitoresca q tanto amo!

    Adoro o “Prata” dsd pequenininha! Tanto que foi lá, no distrito dos “Gomes” que dei meus primeiros passos, na fazenda do me Tio, Ildeu.De lá já conheço alguns apelidos: Tia Nita, Taninha, Bel, Bilau, Nando, Dedé, Chico, Xikim, Chulão, Tetê, Ildeuzim, Tio Dodô (um dos moradores mais antigos da cidade…) e mto, mto mais… vixxx… é gente d+ nessa família! E os q ñ têm apelido ficam naquele esquema de Fulana(o) filha(o) ou neta(o) de Beltrano.(rsrsrs)

    Bom, meu pai é de Dionízio, mas ficávamos mais no Prata qdo íamos p/ aquelas bandas. Ah, claro! Papai se chamava Francisco, mais conhecido como Chiquito. Filho de Janjão (João). Eu ñ sou de lá e, apesar de amar a cidade, ñ ganhei apelido (não que eu ache isso ruim! rs). Porém, como é de praxe, minha definição se enquadra em “Ana Paula de (Ti=tio)Chiquito!”

    Além disso, vários amigos e conhecidos dos quais, muitos eu ñ sei o nome! (Lobão, Crica, Domingão, Lauzim, Dani, Chapolim, Rei, Batoré, Vovozim ou Du ou Gui (esse eu namorei 1 ano e meio e se chamava Agnaldo! rs), Vera da Mercearia, Fulano da Padaria, Cicrano da Farmácia e por aí vai!

    Sou de Itabira, que é uma cidade próxima, tb interiorana. Então, o esquema pra definir quem é quem é o mesmo! Moro em BH há 10 anos… Sinto saudades de mtas coisas, mas principalmente do que pai sempre gostava de ressaltar: o calor das pessoas, o cheirinho das ruas e da comida caseira, dos barulhinhos que indicam a calma dessa cidade tão cativante que é SDP…

    Com mta saudade e recheada de boas lembranças que tb remetem ao meu amado Pai… bjo à todos!

  54. 54 Ana Paula

    Ah, claro! E sinto falta dos 5 anos de Carnavais que passei lá! Muuuuito booom!

  55. sao domingos do prata e a melhor cidade de minas gerais . ..
    sou de la . ..
    e todo mundo seconhece por apelidos .. .
    sao poucos os ki me chamam de taymara . . . .
    gosto muito de la . . .
    e espero manter sempre o contato com os moradores de la . . .

  56. 56 Antonio Eustaquio Martins

    Olá prateanos

    Vi parte da reportagem e achei ótima,meu pai também levou o apelido do local onde nasceu , Zé Recreio ( Fazenda do Recreio)adoro o meu Prata.

  57. o cidade boa essa viu, namoro ai ja tem mais de um ano, cidade boa de festa e mulheres, pessoas bacanas e etc. . .
    cidade boa pra passear, gosto muito dai, tenho familia ai tambem, mais o mais importante eu tenho ai, minha namorada Dryka Te Amo amorr

  58. 58 tania

    gostaria de saber se vcs conhecem a familia bonfa,ou a adriane bonfa,muito amiga minh e perdemos o contato ela nao mora ai nao parece que e de cabreuva ,cabreuva e peto dai? poderia me dizer tbem,obrigada eespero resposta.

  59. 59 sara

    tania,eu conheço a adriane bonfa,ela é minha amiga.tambem perdi o contato com ela,,a muitos anos.A familia dela é muito querida.a adriane Bonfá é um amor de pessoa,muito querida por todos,principalmente por nós evangelicos.Temho acompanhado os trabalhos dela`à distancia.Ela se tornou uma das cantoras preferidas no meio gospel pela sua simpatia humildade e principalmente pelo seu talento,porque vamos respeitar;a mulher canta demaiss!!!Bom,se vc é amiga dela,você com certeza ja a ouviu cantar…a adriane bonfá é uma levita adoradora,que cresceu louvando a Deus.E é uma pessoa muito especial,porque durante anos faz a obra do Senhor,sem se importar com as dificulddes,pois a acompanhei durante algum tempo em suas viagens e sei o grande compromisso que ela tem com deus.A batalha dela na luta,da propagação das boas novas de jesus,atraves de louvor e adoração tem sido muito grande;mas em cada palmo de chão desta terra em que ela pisa,cumpre-se a palavra:ela recebe por herança.e as vitórias concedidas por deus,tem sido muito maior do que as batalhas.Para nós que adoramos a Deus com os louvores de Adriane,e ,com sua voz divinal,o céu se abre quando ela adora e a chuva de graça é derramada.Deus abençôe a vc minha irmã,por ter conhecido a Adriane Bonfá;você é agraciada por deus;ela realmente é uma pessoa excepcional!!!!E cada vez que você ouvir os louvores dela na sua casa,você será abençoada!um abraço na paz do senhor

  60. 60 karine

    ola !!!!gostaria de falar p-ra tania,que eu tbem conheço a adriane bonfá!também perdi o contato com ela a muitos anos,porém tenho acompanhado os trabalhos dela mesmo a distancia;Adriane Bonfá;prata da casa!!uma cantora prateana que fez sussesso no meio gospel;uma das cantoras mais conhecidas no meio evangelico;ela é uma benção.A acompanhei durante anos em suas viagens e sei o grande empenho dela em fazer a obra de deus.A adriane é uma mulher muito querida pela sua simpplicidade,humildade e respeito pela seu trabalho.uma levita adoradora.A amamos muito.

  61. TENHO MUITO ORGULHO DA MINHA CIDADE,FOI ONDE NASCI E PASSEI OS MELHORES 9ANOS DA MINHA VIDA MAIS INFELISMENTE TIVE QUE IR EMBORA DAI,MAIS TENHO FE EM DEUS NOSSO SENHOR QUE UM DIA RETORNAREI PRA MINHA TERRINHA QUE TANTO AMO,SÃO PESSOAS ACOLHEDORAS DE BOM CORAÇÃ QUEM NUNCA TEVE A OPORTUNIDADE DE PASSAR POR AQUI VENHA NÃO IRA SE ARREPENDER.UMA CIDADE MUITO ESPECIAL QUE LEVAREI COMIGO ATE MEUS ULTIMOS MOMENTOS.AMO VC MINHA CIDADE.UM DIA VOLTAREI

  62. 62 Bruno Domingues

    São Domingos do Prata, cidade facil de ser amada… amada por todos que aki nasceram e por todos que um dia aki beberam de sua água e por aki ficaram!!
    Morei recentemente em Ipatinga/MG por 5 anos, mas agora estou de volta a essa cidade pacata porem tão especial!
    Acho que o fato de ser “a cidade dos apelidos” mostra como a sua população é unida, hospitaleira e amiga…. pois aki todos se conhecem e se ajudam ao contrario do que normalmente acontece em grandes cidades onde ninguem procura saber o nome do proprio vizinho com medo muitas vezes da violencia….
    Quem ainda não conhece São Domingos do Prata, venha conhecer… vc será muito bem recebido!!!!
    Um abraço a todos!!

  63. 63 Marco Antonio Braz

    Falar de São Domingos do Prata, cidade onde nasci, cresci e estudei uma boa parte da minha vida? Não existem palavras para definir o quanto sinto-me honrado e deverasmente privilegiado de ser filho dessa cidade…. embora morando em Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso do Sul em função do meu trabalho, ainda nao deparei com uma cidade tao hospitaleira e cheia de calor humano como o nosso Prata. Abraços a todos e principalmente aos ex professores do Marques Afonso de 1994 a 1990. Foi a melhor equipe de professores que já vi em minha vida…. Mestres de verdade…. Saudades deles……….

  64. 64 Rosimeire Martins

    Nasci no Prata, sou filha de tavico, aí vivi grandes contos de felicidade, sou da época de cheira peido, zé mocha, pita, sacolinha todos personagens real de minha doce juventude, eu era mais feliz que Ataúlfo Alves qdo compos pequenino miraí. Trago na alma marcas de uma época muito linda cheia de sonhos desejos de crescer e se tornar uma gde cidade mas o que os pratianos não sabiam é que o prata de minha época já era uma gde cidade, acolhedora, amorosa alegre. Hoje moro em ipatinga, por força maior me desliguei um pouco da cidade, mas nunca deixo de ser PRATEANA,meu coração se alegra quando lembro de minhas raízes, de minha infancia, de meu pai e de minha casa ou melhor eis casa localizada á rua .Praça Francisco Mendes 10 Que saudade meu povo. Saudades da amizade de maria Arthuso, amiga sincera, heloisa de dona Teresa menina levada, Rose de Duvalzinho moça bem comportada. Doutor Antõnio médico dedicado, dedeca mãe da ivete que mora hoje na rua da volta cibele a irmã da cristina do rodney, nonó sanica da rua 13 e tantos tantos mais que não dá para esquecer amos voces, aprendi amar em segredo a aguardálos em meu coração com tesouros escondidos nas profundidades da terra abraços Rosimeire Martins

  65. 65 Rosimeire

    olá queridos conterraneos, amo minha cidade, seus casos e acasos. estou ausente de minha amda terra há mais ou menos 18 anos, mas trago no peito doce lembranças de minha infancia e saudades; saudades do sr. zé pintinho,zé mocha, pita , buda sacolinha e tantos outros né? mesmo a distancia sinto no meu sangue o valor de ser prateana bjos a todos co muito carinho.

  66. Olá pessoal, meu nome é Atson eu sou de São Domingos do Prata, com muito orgulho, sou irmão da Adriane Bonfá. E li os comentários sobre ela e minha família pouco acima. Bem nossa família se dispersou um pouco, a Dri mora desde que se casou em Cabreúva e tem um filho lindo, ela tem gravado vários Cds e tem cantado em diversos estados brasileiros e também no Exterior à poucos dias chegou da Itália onde foi cantar. Eu infelizmente nos reunimos pouco no prata, mas sentimos saudade de muitas pessoas daí que marcaram as nossas vidas. Sinto falta do Prata. Um grande abraço à todos.

  67. PS. Cabreúva, onde a Dri mora é no estado de São Paulo

  68. 68 Rosimeire

    Essa vai para bizula, você lembra do óculos da Ducarmo irmã da Lucia esposa do two ? que um dia foi ao oculista e o mesmo mandou ela usar um óculos bifocal e ela falou que era birofoscal? e vc hem falou q sua mãe ao viajar pediu a empregada para molhar a horta e qdo seu pai chegou em baixo de chuva lá estava a pobre a molhar a horta ? usando sombrinha para cumprir a árdua tarefa. E o chá Mate leão? que sua mãe mandou a empregada fazer para seu pai e ela se pôs a chorar ao levar o chá dizendo se esse chá mata leão vai matar o seu Xavier? é meu povo além do Prata ser cidade dos apelidos é também cidade dos causos. quanta pureza de nossa juventude, quanta saudade de jogar conversa fora na porta da loja de Quito horta em baixo de chuvão fazíamos cada programação hem? saudades . minha irmã marilene me contou esses casos e resolvi registrálos

  69. 69 ADRIANE BONFÁ

    Fiquei muito feliz por ler os comentários de minha cidade!apesar de ter muitos anos que eu me mudei do prata,continuo visitando esta cidade maravilhosa pelo menos uma vez por ano.Foi no prata que iniciei minha carreira artistica…me lembro dos melhores educadores das escolas do prata,entre eles,tia idalina,tia maristela primário, escola cônego joão pio.e no Marques afonso,me lembro da Ana lucia,grande professora de portugues,Marilda,cecília,neuza,EDWARD,Lucia Lima,Gorete,Amalia,Suzana,entre outros…foram estes professores que me incentivaram muito,quando eu gravei meu primeiro disco..na época,não tinha muito espaço por ser um trabalho totalmente evangélico.Mas o que eu quero dizer é que me orgulho muito de ser desta terra de gente boa.Apesar de nao ter muitos apelidos na minha familia,mas eu era sempre chamada de adriane de Adão dentista,pq meu pai era dentista ai no prata por muitos anos.quero deixar meu abraço a todos amigos prateanos,e dizer que quem vai no prata,se apaixona por esta cidade maravilhosa.BJS a todos!!!!

  70. 70 Rosa Maria de Carvalho Menin

    SOU ROSA MARIA, FILHA DA GERALDA DE CARVALHO MENIN,IRMA DA MARIA DO CARMO GOMES PEREIRA E DA TEREZINHA GOMES CARVALHO, MAE DO HELINHO.MINHA MAE ESTUDOU AI E GOSTA DE TODOS PRATEANOS.ELA MANDA BJS PARA TODOS DAI.

  71. 71 paulo de tarso

    fui criado no prata.Prata é onde eu tive um monte de decepções,ao mesmo tempo,onde eu resuscitei, o que foi mais importante.Prata não é só uma cidade fácil de ser amada.
    PRATA NÃO É UMA ESTRADA, NEM UM CAMINHO…É UM DESVIO QUE LEVA AO CORAÇÃO!
    (Emílio Batista, irmão do Caio,e filho de Célia batista)
    Abraços
    pauleta

  72. 72 Daniele

    Boa tarde !
    O Prata é realmente sensacional, infelizmente a senhora da resportagem faleceu ano passado… era minha tia.
    Tia Quita, esposa do meu tio-avô.
    Deixou saudades.

  73. 73 Antonio de Zé Recreio

    Me orgulho de ser prateano e filho de Zé Recreio,que amava esta terra onde morei até 1970,nas mensagens acima pude me recordar de muitos momentos que vivi no prata,embora a maioria ser de uma geração bem mais recente que a minha,não posso me esquecer do meu saudoso Colégio Marques Afonso que era referencia na região pela qualidade de ensino,que me proporcionou condições para o enfrentamento da vida.
    Dona Auxiliadora,Sr Tacinho,Dona Helia,D. Cacá,Dr Bernardo,Sr Egidio (que nos mandava pra Sibéria)Guido Mota, Guido Valamiel,Nazareno e muitos outros.
    Um grande abraço a todos os amigos prateanos.

  74. 74 Antonio de Zé Recreio

    Quando coloquei acima o nome de alguns professores do colégio citei alguns e não poderia deixar de fora a minha querida professõra de francês, Irmã Monica,uma pessoa que está sempre na minha memoria e que desde a sua chegada oa Prata se entregou de corpo e alma aos trabalhos sociase assistencias,como nenhum outro Prateano nato.

  75. 75 Antonio de Zé Recreio

    Digo : trabalhos sociais e assistenciais.

  76. 76 rosi araraquara/sp

    Meu nome é Rosimeire. Sou nascida em São Domingos mas criada em Guanhães, mais interior de Minas ainda. Moro em Araraquara interior de São Paulo e não sabia dessa… quanto apelido…. achei super interessante e criativo também. Um abraço todos e um dia com certeza vou visitar essa linda e aconchegante cidadizinha que só conheço de nome. Um abraço.

  77. 77 JOSE MARIA DE CARVALHO

    Olá Rosa,
    Meu nome é José Maria, sou irmão do Lionel, sua mãe vai se lembrar.
    Sua Tia, Maria do Carmo, ficou chateada porque você inverteu o sobrenome
    dela: é Pereira Gomes, ok?
    De sua mãe guardo saudades.
    Um abraço.

  78. ola pessoal, realmente essa nossa conterranea e uma bençao, adriane bonfa, parabens por seguir nesse caminho lindo.tambem fui aluno na escola estadual marques afonso e tambem na escola francisco rolla, lembro de varios professores da epoca, gracinha, minha professora de historia que atualmente pinta e espoe quadros na feira da afonso pena, bh. que falta faz morar em sao domingos do prata e sentir o cheiro , curtir o dia e ver chegar o anoitecer,este e o site da adriane bonfa ( http://www.youtube.com/watch?v=5jdgXumhQjg&feature=related )

  79. prata e uma merda num vale nada naum sei como trm gente que ainda gosta desse buraco aaaaaaaaa vai todo mundo du prata ce fuder gentinha que so pensao neled proprios com intençao de umilhar as pessoas vai todo mundo pra p… que p… porraaaaaaaaaaaaa…………

  80. 80 Hildeth Domingues

    Muito feliz em deixar e compartilhar aqui com todos esta Mensagem de minha maravilhosa Terra-Natal, que tanto amo! Orgulhosa por encontrar a foto de meu pai Manoel Gomes Domingues (Neco Gomes).
    Eu amo minha cidade! Eu amo vocês!!
    Um abraço à todos.

  81. 81 adriane bonfá

    gente,como eu gostaria de voltar a morar no prata…o lugar é maravilhoso….e gostaria de lembrar que,quem faz o lugar somos nós…se somos gente do bem,com certeza so encontraremos coisas boas….se tratamos o nosso p´roximo bem,com certeza nos tratarão bem….e assim vai….quero mandar um abraço pro TEDA…foi ele que me arrumou no dia do meu casamento…grande cabelereiro!!!!´mandar um grande abraço p/ o ZÉ REIS DO FOTO REIS!O MELHOR FOTÓGRAFO DO PRATA!!!ELE É MEU TIO!mE LEMBRO DO ZE TACIM,DR.ROBERTO NONATO,GRANDE AMIGO DA MINHA FAMILIA E FOI ELE QUE FEZ O PARTO DE MINHA MÃE QUANDO EU NASCI,RSRSR,TBEM NÃO PODERIA ME ESQUECER DO GUIDO MOTTA…FOI MEU PROFESSOR E QUANDO ELE SE ELEGEU PREFEITO DA CIDADE,A MUSICA DE CAMPANHA DELE FOI EU QUE FIZ E CANTEI….”EU JA DECIDI GUIDO MOTTA ESTÁ CHEGANDO A HORA…SOU DA FRENTE PRATEANA EU SOU DA FRENTE,SOU DA CARAVANA DA VITÓRIA!!!”””E FOI UMA GRANDE VITORIA!MEU GRANDE PROFESSOR ADVOGADO,DR.LAERCIO;EDIL ARTHUSO,GRANDE AMIGO,A FIA ESPOSA DO MARCIO QUE ERA LA DE SANTA RITA,JULIANA E ADRIANA DE NATALINA,ENFIM,VOU ME LEMBRANDO DOS AMIGOS E VOU MANDANDO ABRAÇO!!!E ME FALA UMA COISA!!!O RUFIÃO AINDA ESTÁ NAS RUAS DO PRATA?RSRSRS

  82. 82 Lucília Lacerda

    Quanta saudades tenho do Prata, sou de Ipatinga e passei minha adolescencia no Prata, retornei a Ipatinga 1994.
    Os professores maravilhosos, fiquei muito feliz com todos os comentários!
    Abraços a Adriane Bonfá, não sei se vc lembra de mim, estudamos juntas.

  83. 83

    olá queridos pratianos lí os comentários e gostaria de mandar um recadinho pra Adriane Bonfá, minha amiga de infãncia: “tenho todos os seus cds e amo todos eles, principalmente “COM PODER E GRANDE GLÓRIA” que vc me deu pessoalmente e autografado. Um beijão querida. Deus te abençoe sempre!!!E sobre o prata: lá é um ótimo lugar pra se morar morei lá muitos anos de minha vida e nunca esquecerei dakela cidade maravilhosa!!!bjs pra tds os pratianos!!!

  84. 84 Solange Campos

    Queridos amigos, herdei essa cidade maravilhosa de Ratta, meu ex-marido e muito conhecido por lá. Frequento o Prata há mais de 20 anos. Me considero Pratiana de coração, toda vez que eu e minha filha vamos ao Prata de férias, sofremos em deixar os amigos queridos.
    Tenho o privilegio de conhecer muitos citados aqui e gostaria de mencionar que sentiremos muita saudades de nosso querido amigo Teda,recentemente nos deixou. Fará falta.
    Andrey, parabéns pelo blog e obrigada pela oportunidade de encontrar tantos amigos queridos aqui.
    Abraços a todos,
    Solange

  85. 85 Solange Magalhães

    Olá, como é bom saber quanta gente ama o Prata. Tb tenho apelido, Sol Magalhães, sou neta de Tunico Faria (Antônio) e Teteco (José Soares) dos Gomes.
    Abraços a todos;
    Sol

  86. 86 Antonia Marques

    Que alegria ler notícias do “Prata”!
    Nao sou daí, sou de Dionísio mas passei meus melhores momentos nessa cidade linda, qdo fui para estudar no “Marques Afonso” .Q saudade dos meus inesquecíveis professores e colegas! Formei-me em Magisterio e Contabilidade e gostaria de saber noticias das minhas colegas: Maria das G. Santiago, Maria da Paixáo, Maria Sylvia Teixeira,Zeze e” Bandeira”, Vera Lucia Gomes,Ilo, Alfredo…todos!!! .Qta saudade dos Professores: Guido Motta, G. Valamiel, D. Conceiçao Santiago, D. Guimar, Prof. Zaga,Dilma Moraes.So Tacinho,D. Cacá,Prof. Fabiano, Paula e tantos outros… ( excelentes exemplos de sabedoria, respeito…obrigada!!!).
    Moro em BH e gostaria de poder corresponder com meus ex-colegas e ex- professores, no meu email – antoniamello2@yahoo.com.br
    Como eu gostaria de poder rever a todos e a táo querida Sáo Domingos do Prata!
    meu grande abraço a toda cidade.

  87. Primeiro comerciante do arraia Selva, rancho de sapé, em 1985,passando suas atividades para seus irmãos, vindo trabalhar na capital. lembrando sempre dos bons tempos no prata. Esse apelido “LADO” foi publicado em tempos de escola. Filiação: Alba Mendes de Oliveira ; Eurico Fortunato Mendes.

    Saudação a todos…..

  88. 88 Rodrigo

    Estava navegando pela internet procurando as atrações da Cavalgada de São Domingos do Prata desse ano e encontrei o blog. Eu sou nascido e criado em Belo Horizonte, mas praticamente todas as férias estou no Prata, pois, meu pai é pratiano (nasceu num distrito bem pequeno chamado Santa Rita). Esse distrito é muito bacana também.
    Porém o que me chama muito atenção nessa cidade é o povo muito “interativo”, ali não há desconfiança, se faz amizades muito facilmente. E existe outra coisa também, as festas !!! w//
    Ôo lugar pra ter festas boas e tranqüilas. Carnaval, festa de São Domingos, cavalgadas (inclusive nos seus distritos), shows no bar do Ricardo, entre outros.
    Enfim, o Prata é uma cidade muito bacana mesmo.

  89. 89 Rodrigo

    Ps. Esqueci de falar dos apelidos né. Nesse distrito de Santa Rita existe um comerciante muito conhecido (que é meu tio) o nome dele é José Geraldo, mas o povo só o conheçe como ZÉ PIPA. O porque desse Zé pipa eu não sei, mas é assim que o chamam. kkkk’

  90. 90 Antonio Magalhães Martins

    Sou pratiano e amo esta cidade. Moro em São Paulo-SP há 36 anos e quando posso vou ao Prata. Quanta saudade! Principalmente das professoras, Dona Nilza Rolla Perdigão, Conceição Perdigão Gomes e Dona Floripes de Castro.

    Meu abraço ao Guido Motta, Ze Tacinho entre outros. Á nova e brilhate geração, mando meu abraço para a Tái se ela continua morando aí.

    Se a esquina da borracha ainda existe, um alô para seus frequentadores.

    Aos meus inúmeros parentes com carinho.

    Sampa, 06/07/2011
    Toninho Tunico Totone

  91. 91 jakson roberto de andrade

    Meu nome é Jakson. Morei no Prata nos anos de 1996 a 1998. Estou a procura de amigos que esturaram nessa época. hoje noro no rio grande do sul, mas minha mãe é natural do prata e gurado essa cidade no coraçao

  92. 92 Haier Marques leonel

    Sou Haier Marques Leonel, morei em São Domingos do Prata final dos anos 80 e inicio dos anos 90. Me formei no Ensino Médio na E. E. “Marques Afonso”. Hoje moro em Belo Horizonte e Sou Bacharel e Licenciado em História. Sinto muita saudades dos meus amigos e ex professores como a minha inesquecível “GRACINHA” de História; NEUSA de Ciências; Marilda de Ensino religioso; Vera de Geografia…enfim…tantos outros professores que tenho muita saudades!!!
    Meus grandes amigos: MARCO ANTÔNIO MENDES, ELIAS, STENIER, ANA, VILMA, KARINA…E TANTOS OUTROS …MUITA SAUDADE!
    Minha Irmã e sobrinhos moram ainda nesta linda Cidade. Angela Arthuso (irmã e filhas) e meu cunhado Emílio Arthuso.
    Meu grande e inesquecível abraços!!!
    AMO SÃO DOMINGOS DO PRATA…

  93. Dr Geraldo Guerra bem definiu, como foi citado por muitos “cidade fácil de ser amada”. Assim é São Domingos do Prata, ou simplismente Prata.
    Lendo os posts acima, muitos de conhecidos, a saudade aperta.
    Mas fazer o quê não é. O jeito é ir vivendo e voltar para rever os amigos sempre que der.
    Por falar em amigos, acredito que o motivo de tantos apelidos é porque lá praticamente todos se conhecem e convivem de uma forma que o tratamento pelo nome se torna desnecessário.
    Um grande abraço

  94. Gente! Que coisa mais linda ouvir falar tanto da cidade onde nasci. Chmamo-me Maria, mas meu apelido é Juju. Assim é que todos me conhecem lá. Um abração a todos os conterrâneos, especialemnte pra Adriane Bonfá que estudou comigo no Marques Afonso. Lá tivemos excelentes mestres como ela mesma comentou. E muitos que aqui comentaram também foram nossos colegas!

    Abraços!

  95. Somos de Gurinhatã no Triângulo Mineiro e estamos em São Domingos do Prata há mais ou menos 7 anos. Os apelidos aqui são fantásticos… Rararara… O que mais gosto daqui é do clima. Um friozinho bommmm quase o ano todo. Estou aqui curtindo aquele friozinho e aquela chuva boa que só Deus dá.

  96. 96 Quezia Fraguas

    E uma cidade tranguila de se morar,podemos deixar as crianças bricando na sem medo.Uma cidade facíl de ser amada.

  97. 97 veronsi

    quem bebe desta agua não esquece jamais ,do pedacinho do ceu ,chamando prata, sou paulista mais praiano de coração minha esposa veio para sampa pequena junto com os pais seu pais João Batista Domingues e D Nair leopoldina braga domingues ,eu conheci o prata por volta dos anos 75 e me tornei pratiano por amor,tenho muitos amigos e parentes mais me tornei admirador de um atleta anonimo chamado carinhosamente de PREJUIZO do qual sou fã deste super homem beijusss a todos a lete ricardo poca pena lais ronaldo rola tia tios enfim a todos

  98. 98 Braz Soares

    Gente, eu sou o Brazuca, citado pelo Fernando Mardini, o Paulista que virou Pratiano e autor do catálogo dos apelidos também. No meu catálogo tem apelidos de São Domingos do Prata, Nova Era, Dionisio, São José do Goiabal e Bela Vista de Minas, sairá a 2ª edição agora em, 2012. Em sua homenagem Fernando Mardini aí vai, uma história linda acontecida no Alfié:
    Santana do Alfié tem história Pra Contar
    Fotos 15, 25, 65 e 75
    “Jornal Goiabal” Dezembro de 1859. 151 anos depois os homens pioraram.
    Essa estória é para homenagear os moradores do bucólico distrito de Santana do Alfié. Na época em que ela foi transcrita, a dois séculos passados, os fatos políticos não eram tão diferentes quanto os de hoje. Qualquer semelhança será mera coincidência.
    Por volta daquele ano, 1860, o sistema eleitoral brasileiro era interessantíssimo e um tanto complicado. Os eleitores eram eleitos pelos votantes, cujo corpo era constituído pelo “Zé Povinho” como eram chamados todos aqueles que atingiam a maioridade (21 anos) soubessem, ou não, ler e escrever.
    Todavia, não podiam ser eleitores, os analfabetos, somente os que não o eram podiam sê-lo. Eram eleitores por tempo indeterminado, como os nossos vereadores de hoje.
    O alistamento dos eleitores era feito “ex-ofício”, apenas quando o camarada atingisse os 21 anos, hoje se alista aos dezesseis, cada cidade e distrito davam um certo número de eleitores, de acordo com a população, “id est”, o número de habitantes.
    Por exemplo, enquanto a cidade de Antônio Dias dava 10 eleitores, Itabira que era composta dos atuais municípios de São Domingos do Prata, Ferros, São José da Lagoa (Nova Era), Santa Maria de Itabira abrangendo, ainda, os atuais municípios de São José do Goiabal, Dionísio, Jaguaraçu e Marliéria (distritos na época); além dos distritos de Vargem Linda, Alfié e Juiraçu, que totalizava 400 eleitores.
    Antes de 15 de Novembro de 1889 haviam dois partidos: o Conservador e o Liberal, que eram conservados no poder, segundo a sua Majestade, o Imperador Dom Pedro II. Eram mais ou menos equilibrados. Enquanto, em Itabira havia certo equilíbrio, porém, em Antônio Dias, os Liberais eram em número reduzidíssimo. As eleições se realizavam na Matriz e duravam três dias, até que comparecessem todos os votantes (comparecimento obrigatório). Enquanto isso, a igreja permanecia sob guarda policial, aberta. O não comparecimento implicava o dever de justificar-se o votante.
    Em 1860, aferiu-se uma votação para eleitores, em Antônio Dias. Os Conservadores elegeram 10, enquanto que os Liberais não conseguiram eleger um só, nem mesmo o vigário, que era candidato. Padre Antônio Braga era o vigário de então e, por sinal, chefe dos Liberais derrotados. Ficou furioso o Padre Braga e dizia: que desaforo!! Meu sacristão se fez eleitor e eu não! O sacristão chamava-se José Firmino.
    Pouco tempo depois, houve, em Itabira, uma eleição para deputado Geral (hoje Federal). E lá, que era a sede do Colégio Eleitoral votariam os eleitores do município, os de Santa Bárbara, ao qual já pertenciam São Domingos do Prata e Conceição do Serro.
    Foram candidatos: Dr. Penido, advogado em Ouro Preto e Monsenhor Felicíssimo, vigário de Itabira. O professor José Antônio de Brito, que fora eleito “eleitor”, em Antônio Dias, também do Conservador, tomou parte do pleito de Itabira. A eleição se verificou na matriz da cidade. Momentos antes do início, o professor José Antônio de Brito foi chamado à sacristia, pelo Cel. Joaquim Martins, chefe Liberal da Lagoa, a fim de pedir-lhe o voto, para o Monsenhor, que era dos Liberais.
    Impossível trair meu partido, não posso ser-lhe agradável. “Seu Brito, eu lhe faço alguma cousa: posso dar-lhe em troca, de seu voto, um conto de réis. Ei-lo, tome”. Indignado quanto à proposta, Brito abandonou a sacristia para cumprir o seu dever: o de votar em Dr. Penido, do Partido Conservador. Era uma oferta tentadora, pois correspondia a 2,5 anos de professorado, uma vez que ganhava, por ano, 400 mil réis. A proposta foi rejeitada, porque, naquela época, o caráter e a palavra valiam mais do que dinheiro, mesmo que soma avultada. Entretanto, dois ou três outros tiveram o mesmo convite e, tal como hoje acontece, venderam seus votos e, com eles, o caráter e a palavra. Isso valeu a vitória do Monsenhor Felicíssimo para os Liberais.
    Vitorioso e sabedor da negativa do professor Brito, que lhe não deu o voto, nem a troco de dinheiro, o Monsenhor iniciou uma campanha de perseguição ao honrado, leal e bom professor Brito. Incumbiu o Padre Braga, inescrupuloso como ele, de fazer um abaixo-assinado, em Antônio Dias, tendo conseguido apenas 17 assinaturas. Foi quanto bastou para que fosse demitido, do cargo, o Professor Brito, que já contava 20 anos de bons serviços no ensino primário. Homem de têmpera resolveu ir até Ouro Preto, sede da Província. Em companhia de seu filho Fabriciano de Brito cavalgaram, ambos, bons animais de cela e rumaram ao destino.
    Passando por Santa Bárbara entendeu-se com o Cel. Joaquim Camilo Teixeira da Mota, em sua fazenda, no Rio São João, o qual, além, era inspetor da instrução em Minas. Disse o cel, ao professor, que nada podia fazer em seu favor, porque não estava em sua alçada; mas, forneceu-lhe um atestado honrosíssimo.
    De posse de tal documento e dado por uma autoridade rumou para Ouro Preto, em companhia de seu filho Fabriciano de Brito.
    Procurou o Dr. Penido entregou-lhe o atestado do Cel. Mota e outros documentos. Indo ao palácio voltou com a resposta de que a denúncia era de caráter reservado e irrevogável. Sabendo, porém, em palácio, o Dr. Penido que, em Santana do Alfié lutavam por uma escola, deu carta ao professor Brito para que obtivesse lá, um abaixo-assinado nesse sentido e que, dessa forma, dariam solução ao caso. Partiram de volta a Alfié, próximo de Antônio Dias, mais ou menos 14 quilômetros e, sem dificuldade, conseguiu o abaixo-assinado pedindo ao governo a criação de uma escola no distrito.
    Tendo conseguido o número de assinaturas exigido foi o documento entregue ao Dr. Penido, que obteve a criação da escola do Alfié, a primeira e, para ela, foi nomeado professor José Antônio de Brito, pai do Cel. Fabriciano de Brito, de saudosa memória e avô do Dr. Euzébio Tomaz de Carvalho Brito, residente no Rio (quando se fala Brito, esta palavra tem significado conhecido de muitos, Brito quer dizer: honradez, lealdade, firmeza de caráter, dignidade, bondade e sinceridade. Se Nosso Senhor nos desse um grande número de novos “Brito”, ainda que, com sobrenomes diferentes, é certo que teríamos um país com feição moral bem diferente e menos corrompido).
    Fechado os parênteses, podemos acrescentar algo de presente, ainda, em nossos dias. Do casal Brito duas filhas se casaram: uma com Pedro Menezes, Emília, a outra, Maria (nhanhá), com Reginaldo Coura. São numerosos os sobreviventes descendentes da família Menezes, em Filadélfia, hoje Teófilo Otoni. Em Belo Horizonte moram 3 netos seus: Dr. Elísio Menezes, Médico da Saúde Pública; Álvaro Menezes, funcionário da prefeitura e Pedro Menezes, da Rede Mineira de Viação.
    No Rio, outro neto, o Dr. Afrânio Menezes, aposentado pelo Ministério da Agricultura. Reportando-nos à figura principal dessas notícias, podemos esclarecer que o professor José Antônio de Brito aposentou-se e voltou a residir em sua terra natal, Antônio Dias, onde faleceu em Fevereiro de 1896, aos 91 anos.
    O Catálogo Regional agradece ao Didi de Caux – Fundação Esperanza Brasil – a interessante história da 1ª escola do Município.

  99. 99 Braz Soares

    O Brazuca está mostranso em primeira mão como será a 2ª edição do Catálogo dos apelidos. Veja alguns que eu selecionei, nas 5 cidades que compoem o catálogo:
    Apelidos mais

    Cotados

    Adocica
    Alicate
    Amarelo Nine Nine
    Ana de Pipoca
    Ana Piriá
    Ana Vampiro
    Andarilha
    Angelo Pitoca
    Angu
    Antonio Bagageiro
    Antonio Biscoitero
    Antônio Caixote
    Antonio Carrasco
    Antonio Curió
    Antonio Fervendo
    Antônio Fogão
    Apertadim
    Ariel Marcha Lenta
    Azeitona
    Azulão
    Azulzinho
    Babão
    Bafo
    Bagola
    Baloia
    Bambino
    Banana
    Bananinha
    Barbudinho
    Barraco
    Bastião de Lô
    Bastião Quiabo
    Bebe do Torresmo
    Beleza
    Belezinha
    Belezura
    Bené de Zué
    Bequista
    Bereco
    Bereta Pedreiro
    Betinho Pão Veio
    Bibica
    Bichek
    Bico Doce
    Bicoco
    Bicota
    Bicudo
    Biica
    Biloio
    Biluca
    Birosca
    Biscoito
    Bitelão
    Bizarro
    Bizula
    Bizorro
    Bloblô
    Boazinha
    Bob Esponja
    Boca
    Boca de Sino
    Boca Preta
    Bodão
    Bodim
    Bogodó
    Boi Preto
    Bolostroco
    Bozó
    Broa
    Buchecha
    Bujuta
    Bulachinha
    Buneco
    Burrin
    Burro Véio
    Burunga
    Butão
    Buticão
    Butinão
    Cabeça Seca
    Cabecinha
    Cabogueiro do Carreto
    Cacaia
    Cadete
    Canarin do táxi
    Canelão
    Cangerê
    Canjica
    Capetão
    Capilé
    Carlin Cbesta
    Carlinhos Bereta
    Cascão
    Cata Festa
    Catatau
    Catatu
    Cavalinho
    Caveirinha
    Caxero
    Cebolinha
    Celso Capeta
    Chapolin
    Chavioco
    Cheiro do açougue
    Cheroso
    Chester
    Chico Bicicleta
    Chico Boi
    Chico Bota
    Chico Peste
    Chico Tetela
    Chico Topa Tudo
    Chico Triste
    Chicrê
    Choca
    Chopinho pinturas
    Chosa
    Churrasco
    Chute
    Chuva
    Cido de Juquita
    Cidoca
    Cilico
    Ciloca
    Cipó
    Cocão
    Colado
    Conceição Três
    Contra-mão
    Coquinho
    Coruja
    Cosquinha
    Cotote
    Coyote
    Creco
    Criola de Pio
    Crispede
    Cruel
    Cucula
    Cuia
    Cuinha
    Curinga
    Davi Zé de Zeca
    Nonô de Calado
    Debréia
    Dedé de Chico Boi
    Dedé de Chonda
    Dedé Grilo
    Dedé Marreta
    Dedéia
    Denorex
    Dica da Paixão
    Dico Lavanca
    Didito Maricota
    Dim Muchiba
    Dito metralha
    DJ None
    Doce
    Dogão
    Dona Joana do Alto
    Dona Pitoca
    Dondoca
    Duduca
    Durico
    Pé Duro
    Ede Garapa
    Edmilson Zé Patão
    Edna Benzada
    Eli Pouca Teia
    Espirro
    Estrepe
    Eva Quarenta
    Feijão Preto
    Fernando Zé Meu Fio
    Ferrugem
    Fia Zé das Coxas
    Fiico
    Filinha de Zé Cupertino
    Fio do Demo
    Fiota
    Fiote da Farinha
    Fizica do Bar
    Flávia Mamona
    Fofão
    Fradinho
    Franga
    Frango do Açougue
    Frissura
    Fubá
    Fubá da Vila
    Fuinha
    Fura
    Fuscão Preto
    Fusquinha
    Gabiru
    Gafurina
    Gaguinho
    Galo Índio
    Gambá de formiga
    Garra Guela
    Garrafinha
    Garrote
    Garruchão
    Gasogênio
    Gentileza
    Geralda Cróa
    Geraldinho pé branco
    Geraldo Bem Vindo
    Geraldo Capa
    Geraldo Corta Reto
    Geraldo da Montanha
    Geraldo já Morreu
    Geraldo Padre
    Geraldo Patroleiro
    Geraldo Perereca
    Girinim
    Girola
    Godelo
    Helinho bicheira
    Helio Cipó
    Henrique Maranhado
    Inês Tuico
    Inhá Zé de Lô
    Inhô de Tal
    Irô
    Já Morreu
    Jabá
    Jacaré da Cerâmica
    Jacaré do depósito
    Jack Doido
    Jesus Burunga
    Jesus Cachacinho
    Jesus Rombado
    Jesus Rumbudo
    João do Beco
    João Bravo
    João Cemitério
    João Cinema
    João Ciriba
    João Crente
    João da Ponte
    João do Beco
    João Frejelo
    João Galinha Gorda
    João Gato
    João Guelão
    João Patroleiro
    Joãozinho Pão de Sal
    Joaquim Bizorrão
    Joaquim Canelão
    Joaquim Carvoeiro
    Joaquim Cascalho
    Joaquim Folgado
    Joaquim Melancia
    Joninha
    Julião Faz Tudo
    Juninho Larápio
    Juninho Uriudo
    Juquita Canta Galo
    Kabana
    Kid Sanduba
    Kika
    Ladin Barbado
    Ladin Mintiroso
    Lagartão
    Lalau Perereca
    Lavanca
    Leitão
    Leitão da Funerária
    Leite Quente
    Lena Pelota
    Leo Bocão
    Leo Metralha
    Leonam Boca de Angu
    Lequim
    Lerepa
    Lia Zé Mundel
    Lico Garotão
    Lico Veloz
    Lili de Zelito
    Lili Onça
    Lirim
    Litro
    Lolô
    Loloca
    Louva Deus
    Lu sabuco
    Luci Buica
    Luiz Bendelaki
    Luiz Pomba
    Luiz Serrote
    Luiz Tuico
    Luluzinha
    Lusquinho
    Luta
    Luzia Peteca
    Macaco Sapecado
    Mãe Tuá
    Maionese
    Mamado
    Mamau
    Manaia
    Manoel garantido
    Manso
    Maracutáia
    Maranhão
    Marauca
    Marcha Lenta
    Maria Capeta
    Maria do Cabelo Vermeio
    Maria João
    Maria Revolver
    Maria Torada
    Mariquita
    Marlene Folgado
    Marroeiro
    Marruco
    Massagada
    Mateus Mulinha
    Meia Noite
    Meio Kilo
    Melão do Depósito
    Meméia
    Metralha
    Milton salame
    Milton Sambinha
    Mingau
    Mirréis
    Misquece
    Misquecinho
    Miúdo
    Mixupa
    Mocréia
    Mono
    Mosquito
    Motinha
    Motoquinha
    Muado
    Mugango
    Mula Preta
    Mumbarra
    Mumu Rio Doce
    Mundin Cadete
    Muriçoca
    Ná de Zé Boi
    Nego Pingueira
    Nem Quebra Cuia
    Ney Lagartixa
    Nini de Lapito
    Nini de Pipito
    Ninico
    Ninita de Quito
    Niquitinho
    Nisca
    Nô Catchau
    Nô Paparroz
    Nocão
    Nonô de pé duro
    Nonô Rolinha
    Nonô Tatu
    Nonoca
    Nuguet
    Oreia
    Oriudo faz tudo
    Ovo de Vó
    Pachola
    Pacolé
    Paeca do Salão
    Panguinho
    Pantanal Borracheiro
    Pantera
    Pantera Cor de Rosa
    Pantico
    Papo
    Paquinha
    Paradinha
    Paraíba do fogão
    Parrudo
    Pastel
    Pateca
    Patesco
    Pato Roco
    Paulin Caçarola
    Paulo Butuca
    Pé Duro
    Pechincha
    Pedro Midói
    Pedro Papagaio
    Peladeira
    Pelinha
    Pelota
    Peninha
    Pepino
    Pepita
    Pequeno
    Pererequinha
    Perna Bamba
    Perninha
    Pescoço Torto
    Pica Pau do Táxi
    Pichueta
    Picirico
    Pifu
    Pijoca
    Pimpão
    Piniquin Desinfetante
    Pinochio
    Pintor
    Piolho do Táxi
    Piorra
    Pirigoso
    Pirreco Gravatá
    Piruquinha Doce
    Pirusca
    Pitieca
    Pituta
    Pó Royal
    Pombinha
    Popelejá
    Porca Branca
    Porresmo
    Povarin
    Prego
    Pretinho Coletor
    Preto Tropeiro
    Pupu
    Pupuzinho
    Puruca
    Pururuca
    Qualhada
    Querozene
    Quiabin
    Quiabo
    Raimunda Folgada
    Rainha da Sucata
    Raio
    Rasga Nota
    Ratão Motorista
    Rebelde
    Reduzido
    Regaladin
    Repolho
    Rodo Capoteiro
    Rodo Sem Burracha
    Roseta
    Ruão
    Rubrechi
    Ruth Pica-Pau
    Sabonete
    Sabuco
    Sacola
    Sacolinha
    Salgadinha
    Sajove
    Salsichão
    Sancho Pança
    Sarapaté
    Sarapó
    Sarita
    Sem Cérebro
    Sem Chance
    Sergin Tem Tem
    Serrote
    Shureck
    Sirilão
    Solange Capivara
    Sombra
    Sopaina
    Sorriso
    Sucata
    Suíno
    Sureco
    Suruba
    Taioba
    Tampa de Isqueiro
    Tão Perereca
    Tão Tibuta
    Taquara
    Tartaruga Tuchê
    Tarzan
    Tatá Pintado
    Tatão Moringa
    Tatu
    Tazinho Zuera
    Tchutchuca
    Tem Tem
    Teré
    Terninha
    Teté Quebra Cuia
    Teteca
    Tetéia da Loteria
    Tetico
    Tetinha
    Thiquella
    Tia Ré
    Tião da Arca
    Tião Bagunça
    Tião Bucha
    Tião Cototi
    Tião Faixa
    Tião Galinha
    Tião Goiaba
    Tica Belaquim
    Tico Dureza
    Tico Tico
    Tico Veio Boiadeiro
    Tigrilo
    Tijove
    Tilau de Inhô
    Tilau de Juca Soval
    Tilau Zé de Zeca
    Timelocréia
    Tímica
    Tinta Pintor
    Tira Gosto
    Tiririca
    Tiririca Lanterneiro
    Titita girola
    Tiziu
    Tocaia
    Toco
    Todyn
    Tonin Cabeção
    Tonin Garrucha
    Tonin Mata Pomba
    Tonin Piolho
    Tonin Problema
    Tonin Sapé
    Tonin Tentado
    Toninho Corujão
    Toninho de Tota
    Toninho Zueira
    Toré
    Torta
    Tosa do café
    Totinha
    Totocha
    Toza
    Tozinho
    Trêis C
    Três Balas
    Tuchin mecânico
    Tuico
    Tuiuiú
    Turrin Bola de Fogo
    Tutuca Lobo
    Two
    Vacão
    Vampirin
    Vampirinho
    Vampiro
    Vanin Reco-Reco
    Véio
    Veio Bota
    Verme
    Vicente Barrinha
    Vuvute
    Xereba
    Ximbinha
    Xupinha
    Zabumba
    Zangado
    Zaru
    Zé de Bem
    Zé Bode
    Zé Bodin
    Zé Boreba
    Zé Borrola
    Zé Bréia
    Zé Buti
    Zé Chavinha
    Zé Colméia
    Zé das Coxas
    Zé Croá
    Zé Curto
    Zé Disgretado
    Zé Doce
    Zé Doido
    Zé da Égua
    Zé Embauba
    Zé Fisga
    Zé Gotinha
    Zé da Greta
    Zé Isquerado
    Zé Ki Rincha
    Zé Leitin
    Zé Mocho
    Zé Oito
    Zé do Pão
    Zé Parafuso
    Zé Penca
    Zé Perereca
    Zé do Relógio
    Zé Poeta
    Zé Porrete
    Zé Profeta
    Zé Rato
    Zé Rebojo

    Zé Retireiro
    Zé Roncoio
    Zé Ruzinha
    Zé Sá Rita
    Zé Tatu
    Zé Timboca
    Zé Tolete
    Zé Tutu
    Zé Tutuca
    Zebrinha
    Zeca Pimenteira
    Zeca Urubu
    Zezé de Loloca
    Zezé de Zé Gabiru
    Zico de Bento
    Zizico Valim

  100. 100 Braz Soares

    O Brazuca vai deixar para os internautas uma receita típica aqui da cidade dos apelidos. Faça bom proveito.
    Frango com midipipoca
    Ô Minerin, dizem qui você é mestre na cozinha?
    – Mais ou menos.
    Tem alguma receita boa para o domingo?
    – Craro! Veja essa. Sapassado, era sessetembro, taveu na cuzinha, eu caminha e cumade cadela tumano café cum broa, umas pincumel e cuzinhano um kidicarne com mastumate pra fazê um moio caipira prá colocá na macarronada e misturá na galinhassada.
    Só isso Minerin?
    – Carma sô! Deixeu contá o resto. Dirrepenti quascai de susto quando ovi um baruio vino de denduforno pareceno um tidi guerra.
    Como assim?
    – Isprico o pruque: é qui na receita mandô pô midipipoca dendagalinha prassá. Ai o forno isquentô dimais e o cú da galinha isprudiu!
    O que aconteceu depois Minerin?
    – Virge Maria! Minha Nossinhora! Vuou pipoca prá tudo inquanto foi banda. Fiquei branquim knem um li di leiti. Foi um trem doidimais. Quascai dendapia! Fiquei sem sabê o qui fazê, num sabia nem doncovim, nem doncosô, nem onde cotô, nem proncovô, oia procê vê, ki locura! Grazadeus ki ninguém si machucô. Nem eu ki só sustei muito.
    É Minerin foi por pouco dessa vez!

  101. 101 Braz Soares

    Esse Minerin, Brazuca, é doido d+. O home sabe tudo sobre apelidos. Ele é fera.

  102. 102 Braz Soares

    Cadê os Pratianos ausentes e pr4esentes que não se manifestam? Onde está a criatividade dos conterrâneos? Se vc é Pratiano e sabe de algum apelido envie para o Brazuca.

  103. 103 maria hermelinda gomes

    Ollá pessoal,
    gosto muito dessa cidade maravilhosa
    eu nasci em texeira filha de Zé gomes e da Nhanha.
    eu passei praticamente minha infancia toda ate a adolescencia no prata, estudei no francisco rolla e no marques afonso e tenho muitas saudades da minha ex-querida professora vera, roselli, lucia…
    no pratINHA ME APELIDARAM DE LINDA sempre que da eu vou la visitar os meus amigos tbm fui esse ano
    tenho muita saudade apesar de ter ido ai esse ano espero ter tempo de voltar logo ai…
    bjs e abraços para todos!!!!

  104. 104 Claudia Aparecida Albino

    sou pratiana, morando em Itaúna há quase dez anos, o muito tempo que passo sem ir ão prata é seis meses e quando volto sinto-me triste. São Domingos do Prata cidade maravihosa, e de população admiravel. Os apelidos faz parte. meu pai chama José Albino, mas todos o conhece como gordo, Zé tratorista. Um grande abraço o todos pratianos

  105. 105 ADRIANE BONFÁ

    GENTE…..VCS SE ESQUECERAM DA MARIA PINGUELA E DO RUFIÃO…RSRSRSRSRS…BOM…ERA DA MINHA EPOCA NO PRATA…E EU ME LEMBRO DELES PQ EU TINHA MUITO MEDO DELES…RSRSRSRABRAÇO A TODOS

  106. Não se esqueçam,
    temos também:gordo,zoin,neguin,chin,méia,piranha…

  107. 107 ienza

    Sou prateana, vivi nesta cidade na década de 60, tenho poucas lembranças boas, saudades das professoras Beatriz Perdigão, filha de Dolores perdigão. Dona Dorinha esposa do Sr. José torrinha e irmã de Naná Tinduca. Tenho ódio e trauma quando lembro-me da Professora Perpétua Rola por ter me colocado o apelido de parazita pq vim de um arraial, não estava acostumada com a vida na cidade,no início sentindo-me deslocada, não obtive bons resultados, o incentivo que ela me deu foi este apelido, que meus colegas passaram a me chamar só de “parazita”. Odeio Perpetua Rola. Saudades de na minha época, ainda Padre ANtonio, Cidú Mamão e “Mudo” que na época trabalhava na construção da igreija junto com Sr. Arnô, Zé Maria, Edvar, Euzebia, etc. Se precisar irei aí de cabeça erguida, mas vontade não tenho nenhuma. Tenho vontade de ver Madalena, Helinho, Gogola, filhos da saudosa Carminha do Hotel Semião.

  108. 108 ienza

    neste pequeno relato, observe quantos apelidos apareceram:Dorinha, Torrinha, Naná, Tinduca (José Rola Guerra), Padre antonio virou Titone, cidú Mamão, Mudo (como era mudo, não sei o nome), sem falar nos irmãos Ronio, Ronildo e Ivom, os irmãos caçula. Quem lembra de Nonô Babão, Formiga (em frente o Bar Semião) Jacaré (experilson), Sr. Inhô Gomes, Zé do Bar, Vicente Deró, Juquita Valamiel, Antonio de Sá Cota, Sr. Juquinha da carroça que fazia coleta de lixo…

  109. 109 iâni aparecida

    È sempre bom ver que a cidade que crescemos não mudou muito.O Prata é a mesma coisa deste os anos 80,somente a pracinha ficou sem as avores e a discoteca fechou.A coisa mais linda que acho é a Igreja Matriz de São Domingos de Gusmão.Vocês teem que ver como é linda!

  110. Conheço um grande amigo de sao domingos do prata denzinho do pastel quando eu era criança a minha mae sempre me levava na rua e a primeira coisa q eu pedia a ela , era para comprar ums pateis dele , ai entao ele ficou conhecido no prata como denzinho do pastel…

  111. não existe lugar melhor do que são domingos do prata,amo minha cidade ,lugar acolhedor, simplesmente maravilhoso é morar em são domingos do prata.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: